PACT – Ferramenta de coordenação de atividades públicas

A PACT – ferramenta de coordenação de atividades públicas – fornece uma visão geral das atividades específicas de substâncias em que as autoridades estão a trabalhar no âmbito do REACH e do Regulamento CLP, sendo que estas atividades são realizadas em conformidade com a Estratégia Regulamentar Integrada da ECHA.

Assim, a PACT dá informações sobre uma determinada substância nas seguintes áreas: criação e avaliação de dados, avaliação de necessidades regulatórias e gestão de riscos regulatórios.

Mais informações aqui.

Setor automóvel: Tomadas de decisão para vedação bem-sucedida de juntas form-in-place

Selantes de juntas form-in-place (FIPG) estão bem estabelecidas no setor automóvel para aplicações que requerem vedação como cárteres de óleo e sistemas de transmissão e refrigeração. No entanto, as inovações no design automóvel têm levado a mudanças substanciais na forma como os FPIGs são utilizados atualmente.

Os processos estabelecidos pelas gerações anteriores para este tipo de projetos e materiais muitas das vezes já não são aplicáveis e FIPGs com base em silicones RTV vão ganhando destaque nesta indústria. Por exemplo, silicones RTV são um dos pilares na vedação de compartimentos de baterias e painéis de acesso em carros elétricos.

Leia o artigo na íntegra aqui.

Vantagens “pós-cura” para elastómeros de silicone e adesivos

Utilizar o processo “pós-cura” para borrachas de silicone pode ser considerado um processo do passado, mas não o é!

Fabricantes de equipamentos originais (OEMs) têm vindo a descobrir que a pós-cura pode adicionar valor de utilidade a determinadas aplicações. Porém para determinar se este processo é a melhor opção, é importante entender o que acontece durante todo o processo, as vantagens que oferece e as principais práticas recomendadas.

Assim, o processo pós-cura oferece inúmeras vantagens para diversas aplicações como por exemplo a alteração das propriedades do material, remoção de subprodutos evitando a desgaseificação e redução de tempo do ciclo de moldagem.

Leia o artigo na íntegra aqui.

Sugestão de gestão de risco imediata para 300 produtos químicos perigosos

A ECHA publicou recentemente o quarto relatório no âmbito da sua Integrated Regulatory Strategy que demonstra progressos consideráveis na aceleração do ritmo a que as ações regulamentares são identificadas para substâncias que suscitam elevada preocupação.

Em 2021 foram finalizadas as avaliações de mais de 1900 substâncias, a maioria agrupadas com base na sua semelhança estrutural, equivalendo a mais 30% do que em 2020. Cerca de 300 dessas substâncias requerem medidas de gestão de risco imediatas, enquanto 800 não requerem medidas adicionais. As restantes 800 substâncias necessitam de mais dados, esperando-se que cerca de 350 passem para a gestão de riscos no futuro.

O relatório da ECHA destaca também um aumento acentuado de substâncias que necessitam de classificação e rotulagem harmonizadas (CLH), triplicando o número em relação a 2020.

Leia na íntegra aqui.